Segundo estudo anual divulgado pelo Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo (IBEVAR), as perdas nas atividades de comercialização de bens associados a furtos, roubos e problemas operacionais alcançou o percentual de 2,25% do faturamento líquido das empresas varejistas brasileiras.

Ainda segundo a pesquisa, doces e bebidas nos supermercados e calças e tênis nas lojas de moda são os itens mais furtados no varejo nacional, correspondendo por aproximadamente 50% das ocorrências.

Vale ainda ressaltar que países como Estados Unidos e Holanda possuem perdas gerais no varejo brasileiro bem menores que o Brasil, com 1,27% e 1,48%, respectivamente.

Se você possui algum negócio ou patrimônio a ser protegido, saiba que esses dados comprovam a necessidade de uma empresa de segurança privada a fim de minimizar as chances de situações como essa.

Algumas delas podem oferecer um moderno sistema de segurança eletrônica, que incluem câmeras, alarmes e outros dispositivos.

Abaixo mais informações sobre o assunto sistema de segurança eletrônica:

– Para monitorar o ambiente, é possível instalar um sistema de segurança eletrônica que identifica qualquer movimentação considerada estranha dentro da área protegida. Além disso, uma empresa de segurança privada pode aproveitar aplicar a tecnologia em portas e janelas a fim de detectar a intrusão de pessoas não autorizadas em horários proibidos. Caso o alarme toque, uma empresa de segurança interna ou uma companhia prestadora de serviço especializada pode tomar as devidas providências.

– Já para realizar o controle de produtos, existe a opção de instalar sensores que ficam praticamente invisíveis nos itens dispostos na loja. Essas microengenhocas podem até mesmo ficar discretamente escondidas debaixo da etiqueta do código de barras e são detectadas por barras grandes que ficam instaladas nas portas do comércio. A partir do alarme, a empresa de segurança privada tem o poder de barrar o indivíduo que tentou escapar.

– Um sistema de segurança eletrônica pode contar com artigos como: teclado de comando digital; sirenes sonoras que chamam a atenção dos vizinhos e chamam a empresa de segurança privada; botão de pânico para ser acionado discretamente pelos funcionários; baterias extras para que o sistema de segurança eletrônica funcione mesmo em caso de queda de energia; e central de monitoramento realizado por uma empresa de segurança privada.

Por fim, vale ressaltar que o indicado é que esse tipo de alarme seja combinado com serviços específicos de uma empresa de segurança privada, que pode incluir profissionais como o vigilante patrimonial e o porteiro. Dessa forma, será mais fácil recuperar objetos furtados e até mesmo inibir a ação de criminosos dentro da loja.

Se você se interessou por esse assunto, conheça agora mesmo mais informações a respeito da Generall, uma empresa de segurança em SP e no RJ que trabalha com profissionais altamente treinados.

A companhia segue os mais rígidos processos de formação de seus profissionais, contribuindo para que seu patrimônio seja protegido de maneira ágil e eficaz. E tudo isso pode ser adquirido por valores com excelente custo-benefício.

Sendo assim,  acesse mais  informações a respeito da Generall! Clique aqui e confira:  www.generall.com.br